Abordagem Geocrítica d’A Grande Velocidade (Notas de Gare) de Guiomar Torrezão (1898)

Palavras-chave: narrativa de viagem, espaço, abordagem geocrítica, geografia literária

Resumo

Este estudo pretende convocar uma leitura multifocal do relato de viagens “A grande velocidade (Notas de Gare)” da autora Guiomar Torrezão. Partindo de um levantamento toponímico e das principais características da paisagem para cartografar o espaço vivido que será posteriormente cruzado com o espaço ficcionado, o espaço forjado literariamente, pela rememoração de autores e convocação de textos fundadores do género. Esta leitura fará realçar aquilo que Edward Soja designa por espaço terceiro, um espaço onde “(…) everything comes together… subjectivity and objectivity, the abstract and the concrete, the real and the imagined, the knowable and the unimaginable, the repetitive and the differential, structure and agency, mind and body, consciousness and the unconscious, the disciplined and the transdisciplinary, everyday life and unending history” (SOJA 1996: 56).

Como Citar
Pascoal, S. (2018). Abordagem Geocrítica d’A Grande Velocidade (Notas de Gare) de Guiomar Torrezão (1898). Cadernos De Literatura Comparada, (38), 271-293. Obtido de http://ilc-cadernos.com/index.php/cadernos/article/view/485