"Noturno Amarelo": um estudo das relações afetivas e espaciais em Lygia Fagundes Telles

  • Gladson Fabiano de Andrade Sousa Universidade Federal do Maranhão https://orcid.org/0000-0002-7184-0926
  • Naiara Sales Araujo Santos Universidade Federal do Maranhão
Palavras-chave: Lygia Fagundes Telles, Experiência, Paisagem

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo o estudo do conto "Noturno Amarelo", de Lygia Fagundes Telles, sob o aspecto simbólico da paisagem. A autora tece o drama de suas personagens envolto em sugestões e sutilezas espaciais. Seus mais diversos temas, - como morte, loucura, desencontro amoroso e vingança, - emergem não apenas nos diálogos de suas personagens, mas também dos espaços carregados de simbolismo: veredas, jardins, casas, quartos, escadas... Os contos da autora são constituídos por microuniversos de tensões afetivas de latentes relações com os espaços de experiências das personagens. A análise do conto será feita a partir da perspectiva teórica do geógrafo chinês Yi-Fu Tuan, em seu  livro Espaço e lugar: a perspectiva da experiência (2013) nos quais evidencia-se a ligação dos laços afetivos do homem com o meio material. Serão de pertinente contribuição também, as considerações de Gaston Bachelard sobre a poética da percepção do espaço vivido retiradas de seu livro Poética do espaço (1993). Uma vez que o conto analisado vincula-se às questões espaciais, serão utilizados os apontamentos de Maurice Halbwachs (2006) e Paul Ricoeur (2007).

Como Citar
Sousa, G., & Santos, N. (2018). "Noturno Amarelo": um estudo das relações afetivas e espaciais em Lygia Fagundes Telles. Cadernos De Literatura Comparada, (38), 407-427. Obtido de http://ilc-cadernos.com/index.php/cadernos/article/view/495