"Sextualities": Taboo, Transgression and Subversion in the Poetry of Maria Teresa Horta and Luiza Neto Jorge

Palavras-chave: Maria Teresa Horta, Luiza Neto Jorge, tabu, transgressão, subversão

Resumo

A nossa experiência material dos corpos e das sexualidades é fundamentalmente formada pelos limites ideológicos impostos através da hierarquização da sexualidade e dos tabus que definem que elementos são considerados aceitáveis ou perversos. Neste artigo, compara-se o modo como se desafiam estes limites nas poesias de Luiza Neto Jorge e Maria Teresa Horta. Procurar-se-á comparar o modo como cada poeta utiliza os elementos tabus do corpo feminino a fim de criar novas identidades de género que libertariam o corpo feminino das restrições severas dos códigos sociais, políticos e religiosos em Portugal. Especificamente, considerar-se-ão representações do corpo e o modo como se usa linguagem para dar poder ao feminino na poesia de Maria Teresa Horta, e para criar uma definição mais fluida de gênero na poesia de Luiza Neto Jorge. Empregando as teorias sobre a sexualidade de Foucault até Butler, discute-se em que medida se pode dizer que a poesia de Maria Teresa Horta constitui uma transgressão dos limites de sexualidade, e que a poesia de Luiza Neto Jorge é uma subversão. Através da poesia de duas escritoras revolucionárias, portanto, procurar-se-á demonstrar como é que o discurso afecta a experiência material, e comparar as maneiras divergentes como a poesia e a linguagem podem ser utilizadas como resistência ao discurso opressivo patriarcal, seja redefinindo os limites que definem a nossa experiência corporal e sexual, seja apagando-os.

Como Citar
Kirkby, L. (2019). "Sextualities": Taboo, Transgression and Subversion in the Poetry of Maria Teresa Horta and Luiza Neto Jorge. Cadernos De Literatura Comparada, (39), 109-122. Obtido de http://ilc-cadernos.com/index.php/cadernos/article/view/509