“Com muitos dedos puxamos as cortinas para trás”: Invisibilidade e silenciamento na poesia feminina contemporânea brasileira

Palavras-chave: poesia brasileira, violência de género

Resumo

Este artigo visa uma breve análise de poemas escritos por mulheres brasileiras contemporâneas cujo trabalho denuncia a violência de género, ao apresentar a exploração do desejo (lésbico) como uma das formas de contrariar o silenciamento e a invisibilidade que é comum a todas as autoras a tratar. Serão analisados excertos de poemas de Angélica Freitas, Adelaide Ivánova e outras vozes recentes à luz de teorias de género, à medida que se tenta desenhar um espaço seguro alternativo para estas mulheres fora do padrão da voz poética normativa. Para além do desejo lésbico, ponto central destes poemas, será também dado enfoque à violência contra as mulheres, tema este que está intimamente relacionado com a orientação e identidade sexual, tendo em conta a posição de uma ‘dupla segregação’ da mulher cujo comportamento sexual não é normativo (a mulher lésbica, a mulher transexual).

Como Citar
Carvalho, A. (2019). “Com muitos dedos puxamos as cortinas para trás”: Invisibilidade e silenciamento na poesia feminina contemporânea brasileira. Cadernos De Literatura Comparada, (39), 123-136. Obtido de http://ilc-cadernos.com/index.php/cadernos/article/view/510