O livro infantil ilustrado: a produção nonsense de Edward Lear (1812-1888) e Edward Gorey (1925-2000)

  • Fernanda Marques Granato PUCSP
  • Vera Lucia Bastazin PUCSP
Palavras-chave: livro infantil ilustrado, palavra e imagem, Edward Lear, Edward Gorey

Resumo

O ensaio explora as relações entre palavra e imagem na composição dos livros infantis ilustrados de Edward Lear e de Edward Gorey, tendo como motivação maior duas obras previamente selecionadas: Viagem numa peneira (2011) (versão em português que é trabalhada lado a lado com o original, A book of nonsense, publicado em 1846), de Edward Lear, e A bicicleta epiplética (1969), de Edward Gorey. As obras são abordadas à luz dos conceitos de imagem de Wolff (2005); de texto e imagem, de Necyk (2007); de livro ilustrado, de Linden (2011); da relação palavra imagem, de Nikolajeva e Scott (2011); e de literatura nonsense, de Sewell (1952) a partir de uma metodologia comparativista, que ressalta possíveis aproximações e diferenças, dentro do contexto aos quais os autores pertenceram. O desenvolvimento de nossa reflexão posiciona Gorey como herdeiro da produção de Lear e como autor de livros infantis ilustrados na perspectiva do nonsense contemporâneo.

Como Citar
Granato, F., & Bastazin, V. (2019). O livro infantil ilustrado: a produção nonsense de Edward Lear (1812-1888) e Edward Gorey (1925-2000). Cadernos De Literatura Comparada, (40), 245-270. Obtido de http://ilc-cadernos.com/index.php/cadernos/article/view/545