Leitura da paisagem sonora e odorífera em 'O Cortiço' de Aluizio de Azevedo: perspectiva interdisciplinar e literária à luz da geografia cultural

  • Jorgeanny de Fátima Moreira
Palavras-chave: 'O Cortiço' de Aluizio, Azevedo, geografia cultural, paisagem, Brasil

Resumo

Neste artigo, analisaremos a obra O Cortiço de Aluizio de Azevedo à luz da Geografia Cultural. Aluízio de Azevedo foi um romancista brasileiro que se circunscreve no estilo realista, preocupou-se em narrar as questões raciais no Brasil, bem como conflitos de classes sociais. Nasceu e residiu parte de sua vida no nordeste brasileiro, migrando-se posteriormente para o Rio de Janeiro onde adquiriu maior versatilidade e criticidade para a construção de suas obras literárias. Suas narrativas pautam-se na percepção e detalhismo nas descrições, próprias da linguagem realista. Essas características nos permitem analisar suas obras a partir da leitura geográfica, uma vez que elas trazem elementos para refletir a visão do próprio autor sobre paisagem e lugar. A obra escolhida para análise e construção deste artigo é O Cortiço. Com base em uma rigorosa leitura da obra, observamos a descrição paisagística dos lugares narrados. Os sons e os cheiros nos permitem fazer uma leitura geográfica do lugar e elaborar imagens acerca das paisagens que marcam a estória criada por Aluísio de Azevedo, possibilitando a compreensão da importância da percepção para a construção do conceito de paisagem. 

Publicado
2015-12-27
Como Citar
Moreira, J. de F. (2015). Leitura da paisagem sonora e odorífera em ’O Cortiço’ de Aluizio de Azevedo: perspectiva interdisciplinar e literária à luz da geografia cultural. Cadernos De Literatura Comparada, (33). Obtido de https://ilc-cadernos.com/index.php/cadernos/article/view/297