O cinema presta homenagem à poesia em Acidente, de Cao Guimarães e Pablo Lobato

Palavras-chave: Poesia, cinema, materialidade do texto, filme textual, Minas Gerais

Resumo

Os cineastas Cao Guimarães e Pablo Lobato criaram o filme Acidente (2006) a partir de um processo de composição poética construído com o nome de 20 cidades do Estado de Minas Gerais. O artigo discute de que modo os procedimentos de realização desse longa-metragem, assim como seu resultado, costuram diferentes cruzamentos entre poesia e cinema. Em primeiro lugar, ainda que de forma indireta, o filme evoca tradições variadas na relação entre texto e cinematismo, incluindo produções das vanguardas que levaram a materialidade da palavra ao cinema, experiências de escrita inspiradas por Tristan Tzara e a relação da literatura com a questão espacial. Mais ainda, a maneira particular como a poesia inscreve-se em Acidente será também investigada por meio da revisão de conceitos como “filme textual”, “cinepoesia”, “dispositivo” e “cinema de poesia”.

Como Citar
Roiffe, A. G. (2019). O cinema presta homenagem à poesia em Acidente, de Cao Guimarães e Pablo Lobato. Cadernos De Literatura Comparada, (41), 291-315. Obtido de https://ilc-cadernos.com/index.php/cadernos/article/view/567
Secção
Artigos