“Las babas del diablo” e Blow Up: Uma análise da tradução intersemiótica na adaptação fílmica

Palavras-chave: Tradução intersemiótica, adaptação fílmica, literatura, cinema

Resumo

Nosso trabalho tem o intuito de verificar a relação intersemiótica entre o conto “Las babas del diablo” (1959), do autor argentino Julio Cortázar, e o filme Blow Up (1966) do diretor e roteirista italiano Michelangelo Antonioni, através da análise do processo de tradução do texto literário para a adaptação fílmica. Para tanto, nos valeremos da Teoria Geral do Signo de extração pierceana e o comentário sobre tradução intersemiótica de Julio Plaza, considerando as três classes de signo, isto é, índice, ícone e símbolo, investindo nas propriedades analíticas dessa base de investigação; nos comentários sobre adaptação fílmica, cinema e literatura de Tânia Pellegrini; e na Teoria da Transcriação dos irmãos Augusto e Haroldo de Campos. Dedicamo-nos a levantar informações sobre dois aspectos do processo tradutório entre literatura e cinema, que correspondem ao efeito icônico do processo de reescrita e transcriação no filme Blow Up, e como as principais figuras da narrativa literária são apresentadas, observando o comportamento do signo no processo de deslocamento entre linguagens.

Como Citar
Santos, L. (2019). “Las babas del diablo” e Blow Up: Uma análise da tradução intersemiótica na adaptação fílmica. Cadernos De Literatura Comparada, (41), 317-330. Obtido de https://ilc-cadernos.com/index.php/cadernos/article/view/568
Secção
Artigos