A Mulher em Pânico - Faces do surrealismo no Brasil.

As forças disruptivas do feminino nas Fotomontagens de Jorge de Lima

Autores

  • Bárbara Bergamaschi Universidade de Lisboa - CIEBA

DOI:

https://doi.org/10.21747/21832242/litcomp49a8

Palavras-chave:

Surrealismo no Brasil, vanguardas modernas, poesia moderna, literatura comparada, intermidialidade

Resumo

Nos anos 1930-1940 Jorge de Lima começa a se interessar pela prática da fotomontagem quando toma conhecimento da técnica surrealista através do livro La Femme 100 Têtes de Max Ernst, livro este que lhe é oferecido pelo seu parceiro artístico Murilo Mendes. A partir de uma pesquisa realizada no acervo do Arquivo-Museu de Literatura Brasileira (AMLB) da Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB) no Rio de Janeiro, encontramos 55 recortes de revistas nunca utilizadas pelo poeta que, ao que tudo indica, seriam utilizadas para criar novas fotomontagens. Notou-se uma prevalência de imagens da figura feminina nos recortes encontrados. Neste artigo, abordamos especificamente a importância da mulher e as forças “disruptivas” femininas na tópica surrealista. Para tal, realizamos algumas análises comparatistas, cotejando fotocolagens e poemas de Jorge de Lima e Murilo Mendes. Veremos como a praxis de Lima e Mendes bebe das fontes da vanguarda francesa, ecoando as investigações empreendidas por André Breton e Georges Bataille.

Downloads

Publicado

2023-12-31

Como Citar

Bergamaschi, B. (2023). A Mulher em Pânico - Faces do surrealismo no Brasil.: As forças disruptivas do feminino nas Fotomontagens de Jorge de Lima. Cadernos De Literatura Comparada, (49), 149–171. https://doi.org/10.21747/21832242/litcomp49a8

Edição

Secção

DAS PRÁTICAS